sexta-feira, 3 de setembro de 2010

Memórias de uma Gueixa.

Olá, pessoas amadas! Aqui quem vos fala é a Nana e esta é mais uma edição do Made in, trazendo o melhor da mídia japonesa para vocês. Primeiramente, gostaria de dar boas-vindas à nossa nova colunista, a Dih, e pedir a todos que façam com que ela se sinta à vontade. Seu primeiro post foi ontem e assim será daqui pra frente, todas as quartas-feiras, então deem (nossa, como é ruim escrever pela nova regra!) uma olhada aqui no post embaixo do meu e poderão saber um pouquinho do que a coluna dela vai tratar. Também queria me desculpar por não ter postado ontem, que é o meu dia mesmo, mas é que aconteceu uma coisa muita chata com meu pc. A pasta "minhas imagens" simplesmente sumiu e eu não consegui encontrá-la em lugar nenhum. Resultado: Havia perdi TODAS as minhas fotos, de todos os tipos. Mas agora é pegar tudo de novo, né? Não há mais nada a fazer, já a procurei em todo lugar. Mas vamos deixar isso de lado e ir ao que interessa? Hoje eu vou trazer uma indicação de filme japonês que eu tenho certeza que todos vão amar! É uma produção bem conhecida, esteve em cartaz nos cinemas (se não me engano) e o pôster de anúncio (que é o mesmo da capa do DVD) chama bastante a atenção devido aos detalhes orientais. Isso mesmo, estou falando de Memoirs of a Geisha, mais conhecido por nós brasileiros por Memórias de uma Gueixa!








O filme se passa no contexto dos anos que antecedem a II Guerra Mundial e conta a história da pequena Chiyo, uma garotinha que é vendida pelos pais e passa a trabalhar como criada em uma casa de gueixas. Desde o primeiro momento foi alvo de Hatsumomo, a gueixa mais importante do Okiya, que dedicou-se a tornar a vida de Chiyo um verdadeiro pesadelo. Tudo parecia um castigo vindo dos céus. Em um dia comum em que voltava para casa, porém, encontrou-se com um homem que lhe foi muito gentil, a quem chamavam apenas de “presidente”, que estava acompanhado por uma gueixa. Ela se apaixonou por ele naquele instante, o que fez com que ela decidisse tornar-se uma verdadeira gueixa.








Chiyo cresce e se torna uma bela mulher, ainda uma criada, devido a uma grande dívida que precisa saldar com a dona do Okiya, mas as alfinetadas de Hatsumomo são sempre as mesmas. Qual não é a sua surpresa quando Mameha, a gueixa do Okiya vizinho e maior inimiga de Hatsumomo, decide tomar Chiyo para si e torná-la a gueixa mais desejada e famosa do Japão? Apartir daí, a vida dá muitas voltas. Sayuri, como passa a se chamar depois de tornar-se gueixa, consegue atrair um dos homens mais influentes do país, mas nutre um amor secreto pelo “presidente”, seu melhor amigo. E agora, o que você acha que vai acontecer?








Eu, particularmente, gostei muito do filme. As pessoas têm sempre a mania de dizer que os livros são sempre melhores que os filmes, mas este realmente ficou muito, mas muito bem produzido. Nele, além de um romance avassalador, você pode mergulhar no mundo fascinante e misterioso das Gueixas, com seus quimonos cheios de cores e bordados em dourado. Além disso, belas atrizes estão nos papéis principais, como Zhang Ziyi, que interpreta Chiyo, e Gong Li, como Hatsumomo. Houveram muitas críticas ao filme, como o fato de Rob Marshall, o diretor, ter escolhido três atrizes do cinema chinês para interpretarem japonesas ao invés da “mão-de-obra” local e ter mostrado práticas como o “mizuage”, que era a venda da virgindade de uma gueixa jovem por quem pagasse mais. Apesar disso, eu realmente gostei do filme. Ele esclarece a maior dúvida com relação às gueixas que existe: Gueixas não são prostitutas. É senso comum da maioria das pessoas (de qualquer país) que não tenha conhecimento da cultura nipônica achar que Gueixas são prostitutas, quando na verdade não são. A palavra Gueixa significa artista, e como dito no filme, “elas vendem seu talento, não seu corpo”. Durante muitos anos, aprendem sobre música, teatro e dança para entreterem seu público e é só. O grande problema é que existe uma outra vertente de mulheres chamada Oiran que designa cortesãs de alta classe que possuem vestimentas semelhantes às das Gueixas, o que faz com que facilmente confundam ambos os conceitos, sendo a única diferença o fato de as Oiran usarem o Obi, o cinturão que se usa para amarrar o quimono, voltado para a frente, para que possam ser retirados com mais facilidade. Há muitas coisas a serem faladas sobre as Gueixas (e eu particularmente não me incomodaria em passar horas escrevendo sobre isso), como os detalhes das vestimentas ou a origem da profissão, mas não cabe a mim explicar-lhes isso. Só posso dizer que é um ótimo filme e que eu recomendo mesmo, se você realmente se interessa em cultura japonesa e entender os seus mistérios. Sugerirei à Belle que faça uma matéria sobre a vestimenta das Gueixas na coluna dela, podem esperar!


Bom, vou ficando por aqui. Espero que tenham gostado da sugestão e apreciem o filme, porque é realmente maravilhoso, vocês vão ver.


Kiss kiss. =*

5 comentários:

Subara disse...

Fiquei interessado no filme. '^' Vou procurar assistir ele domingo. /hm

Gueh disse...

Esse filme é perfeito, ja perdi as costas de quantas vezes eu assisti.

ideias vestíveis disse...

Esse filme é lindo demais. :D

Lorena Moura disse...

Esse filme é lindo, já falei dele no blog, a respeito dos vencedores de melhor figurino do oscar :)
Beijo meninas :*

Mya disse...

amoooo esse filme..quando eu estudava fiz um trabalho todo sobre gueishas....
adoroooo...
jah assisti um bilhão de vezes o filme..
eu recomendo pra sempre ele!!