domingo, 13 de fevereiro de 2011

Hinamatsuri

  Olá gente!  Hoje vou falar do hinamatsuri, algo que achei extremamente interessante da primeira vez que ouvi falar sobre, e que me fez tomar um gosto especial por essa parte da cultura japonesa.

Altar de bonecas tipíco do festival hinamatsuri
  Primeiro, você precisa saber que no Japão não existe o que no Brasil é conhecido como “dia das crianças”, e, na realidade, o que existe são dois feriados separados, um destinado às meninas, e outro aos meninos.
  O que vou falar aqui hoje é o hinamatsuri, ou, em uma tradução literal, “Festival das Bonecas”, que seria o “dia das meninas” nas terras nipônicas.
  Para começo de conversa, essa tradição de exibir bonecas veio do período Edo (que é conhecido por ser o inicio do período moderno do Japão), quando se acreditava que as bonecas afastavam maus espíritos. Porém, o festival tem suas raízes em algo ainda mais antigo, uma tradição que dizia que se bonecas de papel fossem colocadas em um rio, levaria consigo para o mar os maus espíritos e os diversos males.
  Nesse festival, que ocorre no dia três de março, é construído um “altar” com sete degraus, onde em cada um deles são colocadas bonecas especificas com significados próprios, que representam pessoas do período Heian (período no qual as artes se desenvolveram plenamente no Japão, foi também o auge dos samurais e do confucionismo), sendo sempre o degrau mais alto reservado as bonecas representando o imperador e a imperatriz.
  Os degraus são cobertos normalmente com um pano vermelho e, além das bonecas, pode-se ver diversos acessórios dispostos em sua extensão, valorizando a riqueza de detalhes.
  O segundo degrau, de cima para baixo, é reservado a três senhoras da corte japonesa. Abaixo delas, no terceiro degrau, ficam os músicos, e o cantor segura um leque. Nas fileiras mais baixas, são dispostas diversas mobílias e carruagens, além de ferramentas de trabalho. No quinto degrau podemos notar também dois ministros, um à esquerda e outro a direita.
  O altar deve ser montado, segundo a tradição, por volta da segundo quinzena de fevereiro e desmontado até o dia quatro de março. Caso essas datas não sejam respeitadas, a menina pode encontrar problemas para se casar no futuro. Além disso, diz-se também que essa festa influi na prosperidade, saúde e felicidade das meninas.
  As bonecas devem ser dadas pela família da mãe ou compradas em lojas especificas, e cuidadosamente guardadas após desmontar o altar. Como até no Japão a sociedade enfrenta disparidades, é normal encontrar em algumas casas altares muito mais detalhados e bem mais trabalhados do que em outras.

  A comida tradicional desse festival é o arare, que são pequenas bolachas coloridas, e a bebida se chama amazake, que nada mais é que uma versão do sakê, porém com baixo ou nenhum teor alcoólico.
  A anfitriã convida os amigos para tomar um chá, e além das arare, também são servidos hishimoshi, bolinhos doces de arroz. Para diversão dos convidados, a anfitriã pode cantar, e a música mais utilizada é a Ureshii Hinamatsuri.

  Como o Japão é o país mais supersticioso do mundo, não é surpresa que as tradições são cumpridas a risca.
  Aqueles que assistiam assiduamente Pokémon devem se lembrar de um episódio em que a Misty e a Jesse participavam de um torneio cujo o premio era um altar com as bonecas usadas no festival.
  Para quem quiser saber mais, vale também consultar a revista Neo Tokyo nº 19!
  Espero que tenham gostado da minha primeira matéria aqui, e aguardem os próximos posts!

1 comentários:

Nami disse...

nossa, adorei a matéria! /o/
você escreve super bem, Victor *-*~
e eu lembro daquele episódio de pokémon que elas ganharam o altar com as bonecas mas nunca tinha entendido o que era x_x'
o blog tá ótimo!
aceitam fazer parceria com o Ponto Anime? [www.pontoanime.blogspot.com]

Até~